5 … 4 … 3 … 2 … 1 …

Feliz 2008 !!!!

Nada como começar o ano com um projeto novo, e desta vez resolvi começar com o pé direito.

Ao mesmo tempo que abandono o meu blog antigo – http://blendermaniacos.blogspot.com/ , eu começo a entrar de cabeça neste novo blog.

Gostaria de começar falando um pouco sobre o ano que passou, e o que nos espera em 2008.

– A primeira coisa que podemos falar de boca cheia é que o Blender amadureceu. Não falo do programa simplesmente, mas do projeto por trás do programa. Cada mais vemos uma comunidade coesa, e isso está se refletindo aqui no Brasil também, a medida que nossos tupiniquins vão expandindo suas redes de contato para além-mar.

Blender 2.45

Cada vez mais o Blender tem sido usado profissionalmente, e tem produzido resultados impressionantes.

– Outro ponto que é importantíssimo para quem mexe com arquitetura é a respeito da importação de arquivos CAD.

O script atual de importação de arquivos DXF R12 está maravilhoso. Tive a oportunidade de usá-lo em um projeto grande, e o desempenho superou todas as minhas espectativas. Finalmente temos como trazer arquivos com alta qualidade de programas como AutoCAD para o Blender.

– Para quem é da região sul do país, então está rundo à toa. O Blender PRO 2007 – primeiro encontro nacional da comunidade brasileira de usuários de Blender aconteceu em novembro na cidade de São Leopoldo/RS e foi um sucesso total. A tendência é que cada vez mais consigamos expandir esta iniciativa e expandirmos nossos fóruns de trocas e discussões.

Blender PRO 2007

Voltando a questões técnicas, estou finalmente satisfeito com a função de SNAP do Blender. Este avanço aliado ao script Geomtool, dotaram o Blender de ferramentas poderosas e eficientes para o trabalho de modelagem arquitetônica.

E o que nos espera em 2008?

Isso é tema para um próximo artigo.

Grande abraço a todos,

e sejam sempre muito bem vindo(a)s 😉 😉

Dalai Felinto

Botei online a apresentação de slides que apresentei na BlenderPRO, para entendê-la melhor talvez valha dar uma olhada no pdf também, e nas imagens em tamanho maior.

PDF para download – http://www.blender.pro.br/bp2007/arquivos/blender_sketchup.pdf
Apresentação em JPG para download – http://www.blender.pro.br/bp2007/arquivos/apresentacao_blender_sketchup.rar

Já estão disponíveis para download no site da BlenderPro todas os artigos que foram enviados, vale a pena conferir – www.blender.pro.br

Finalmente terminei este trabalho.
Ao todo foram seis dias e meio de dedicação (trabalhando de noite, madrugada e final de semana) mas valeu apena.

Ainda não consegui botar uma animação nova no YouTube, mas aqui dá pra ver as imagens de como ficou:


Este é um trabalho acadêmico, que só consegui realizar graças a enorme quantidade de recursos online disponíveis sobre o Blender.
Como eu acredito que a academia deve sempre retornar a sua produção para a sociedade, resolvi disponibilizar o arquivo .blend para quem quiser estudar melhor o trabalho, e quem sabe aperfeiçoá-lo …

Arquivo .blend (2,7MB desenvolvido para o Blender 2.45)

Executável final (8MB descompactar na mesma pasta do executável).

É isso, espero que todos gostem tanto quanto eu gostei de fazer …

Grandes abraços,
Dalai

Olá a todos!

Hoje vou falar sobre um dia de trabalho especial que me ocorreu mês passado…

Dia 08 de novembro foi meu aniversário, e como não sou funcionário público, fui trabalhar 🙂

Estávamos finalizando a apresentação do projeto de cenografia para a festa de lançamento da Peugeut.
Afora todas as perspectivas e todo o projeto, precisávamos fazer uma foto-montagem simples com a Praça Gen. Tibúrcio ao fundo (na praia vermelha, no bairro da Urca no Rio de Janeiro), uns carros em primeiro plano, e uma plataforma para cada carro ficar inclinado.

Até aí nenhuma novidade, enquanto uma pessoa foi limpando a imagem (retirando as pessoas, recompondo o fundo) eu fui limpando a imagem de cada um dos carros para fazer um PNG para ser inserido na composição.

Eu falei composição? Não é que é este justamente o nome de um dos recursos do Blender que eu menos uso.

E aqui começa meu presente de aniversário :-), resolvi fazer as bases para os carros utilizando os Composite Nodes do Blender, para conseguir ajustar as distorções de perspectivas e posição das plataformas.

A solução é bem simples, pode conferir aqui na imagem como eu configurei os nodes.

Eu trabalhei com três layers, um de fundo, com a imagem base, outro com as plataformas modeladas no Blender, e o último (mais à frente) com os carros. No final eu exportei apenas a imagem (sem a composição) e montei no Photoshop.

É um trabalho simples, mas sem dúvida fazê-lo no Blender é a maior alegria 🙂

Por isso eu digo,
Blender day is a happy day

Abraços,
Dalai Felinto

Botei uma versão mais nova online:

Se tudo ocorrer bem hoje eu termino tudo e posto aqui o resultado.
Tenho vontade também de postar algumas dicas e o arquivo .blend, mas isso talvez tenha que esperar minhas férias.

Grandes abraços grandes,
Dalai

Terminei o poster que eu ia apresentar no BlenderPRO (www.blender.pro.br).
Na realidade aconteceram algumas mudanças na estrutura do evento, e provavelmente eu apresentarei este trabalho com projeção de slides.

Como não existe trabalho perdido, aqui vai a prancha como ficou, espero que gostem 🙂

PS.: Qual não foi minha surpresa estes dias quando recebi um email de um leitor aqui do Blog querendo tirando uma dúvida sobre o tema de Blender e Sketchup.

Fiquei muito contente de saber que temos leitores (depois eu explico melhor, mas a questão é que este Blog não está no meu nome, e portanto eu não tenho acesso às estatísticas ou às configurações gerais).

Se você tiver alguma questão, queira compartilhar algo, poste nos comentários 🙂 Além de deixar um registro de sua presença, ainda pode ajudar outras pessoas.

Grandes abraços,
Dalai

Recentemente saiu um exemplar de uma destas revistas sazonais da Digerati, que trata especialmente sobre o Blender.

A revista é bem interessante, tem uma série de tutoriais em vídeo feitos pelo grande Cícero Moraes e na parte impressa tem uma explicação geral sobre o funcionamento do Blender.

O Cícero (também conhecido como cogitas) estava aceitando material para enviar ao editor para ilustrar a revista.
Eu enviei e qual não foi minha surpresa quando descobri que a minha imagem foi escolhida 🙂


Esta foi a imagem escolhida para constar na revista:

Na realidade esse é um screenshot da minha tela de trabalho no Blender (ligeiramente ajustada para ficar bem na foto 😉 ). As perspectivas originais são as que foram postadas há uns dois posts atrás:

Abraços,
Dalai

Introdução
*Este é um pequeno artigo que fiz com o objetivo de compartilhar algum conhecimento “cruzado” de Blender e Sketchup. Como é o primeiro que faço, fiquem à vontade para compartilhar suas críticas e sugestões 😉
Oi!
Espero que esta prosa possa te ajudar em sua caminhada de aprendizado no Blender.
Eu conheço algumas pessoas, que por já dominarem alguns programas robustos de 3D (Maya, 3DMax, …) conseguem com mais facilidade utilizar o Blender para todas as etapas do trabalho em 3D.

Porém, os novatos nesta área (dentre os quais eu me incluo 🙂 ) esbarram em algumas dificuldades recorrentes para dominar o Blender, tanto na modelagem, quanto na iluminação e materiais. Ora, não é fácil começar a mexer em um programa e para qualquer cena, ter que modelar vários objetos, criar vários materiais, e configurar toda a iluminação. Uffa … quanta coisa!

Enfim, enquanto para outros programas já existem bibliotecas disponíveis com tudo o que se pode precisar, para o Blender (assim como para boa parte dos softwares livres) esse ainda é um campo a ser preenchido (por nós, quem sabe?).

Por onde começar?

Bom, esta pergunta é muito pessoal, mas posso indicar qual é o caminho que eu sigo.
Eu trabalho com arquitetura e cenografia. Como o dia-a-dia é muito corrida, e a maquete eletrônica integra o processo de criação, além da apresentação em si, eu utilizo muito o SketchUp.
O Sketchup é um programa limitado, mas muito veloz, ideal para quem precisa visualizar todo o processo, fazendo alterações, e não apenas o resultado final.

E o quê o Blender tem a ver com isso?

Eu (felizmente) tenho conseguido usar o Blender profissionalmente junto com o SketchUp de duas formas:

  1. para modelar objetos mais complexos (em geral os curvos e orgânicos)
  2. para iluminar cenas modelas no SketchUp

1 – Modelando no Blender
* existem na internet muitos tutoriais para modelagem no Blender, o que eu pretendo com este artigo é apenas indicar as técnicas que eu já utilizei para integrar os dois programas. Confira no final do artigo alguns links referentes às técnicas citadas.

Poder contar com o Blender como uma carta na manga para complementar o SketchUp é um recurso poderosíssimo.

Dêem uma olhada nos exemplos abaixo, facilmente modeláveis no Blender, e me digam como poderiam ser feitos com a mesma agilidade no SketchUp:

  1. Teto de malha: Apliquei dois modificadores Wave (um no eixo X, e o outro no eixo Y) em um plano subdividido (subdivisão simples).
  2. Luminárias Curvas: Fiz uma curva 3D extrudada, com a altura controlada por outra curva (TaperObject)

O mais legal disso tudo, é que essa é uma maneira de agregar valor a seu trabalho no SketchUp e conseguir usar o Blender profissionalmente.

2 – Iluminando no Blender

Uma outra opção, é pular as etapas de modelagem no Blender, e importar direto do SketchUp.
Isso é recomendável para quem quer focar seu aprendizado em texturas e/ou luz, e de todo modo já ter uma apresentação pronta de sketchup, caso os primeiros resultados no Blender não sejam satisfatórios.

Se o objetivo do trabalho não se ater necessariamente aos materiais, em poucos minutos se consegue resultados bastante interessantes.

Esse segundo trabalho, depois de eu ter gerado diversas imagens no SketchUp, eu resolvi levar o arquivo para o Blender (exportando no formato 3ds, ou obj ou mesmo kmz) coloquei algumas luzes, renderizei e tratei no GIMP (editor de imagens).
A etapa de trabalho no Blender, não levou mais do que 15 minutos, depois abri a imagem no GIMP, corrigi um pouco a iluminação, botei a foto no quadro e ficou pronto.

Com mais tempo e mais prática, pode-se obter resultados incríveis. Existem muitos profissionais que modelam no SketchUp e trabalham a aplicação de materiais e luz em outros programas proprietários (3dMax principalmente). Por que não podemos fazer o mesmo com o Blender?

. . .

Bom, chegamos ao fim deste papo. Espero que você tenha aproveitado de alguma forma estas palavras, e que sua trajetória profissional possa contar com o Blender também 😉

Quaisquer dúvidas, comentários, sugestões, estou às ordens:
pode escrever para dfelinto@yahoo.com, ou me encontrar nos fóruns de Blender como dfelinto.

Abraços e bons trabalhos,
Dalai Felinto

Posts Relacionados

UFFA! estou de virote como se diz em niterói.

Bom terminei duas perspectivas que são para amanhã, deram um certo trabalho pois eu nunca tinha feito nada nesta escala. Foi um pouco difícil coordenar o AutoCAD com o Blender.

O projeto é um loteamento na área do Campo dos Afonsos no Rio de Janeiro. Esta área tem um aeroporto que deverá ser desativado e a partir deste cenário projetamos uma ocupação ideal.

O projeto foi desenvolvido por mim e mais dois colegas da UFF (Cristiano Xavier e Janaína Achete) na disciplina Projeto Urbano III ministrada pelo grande professor Romay Garcia.

Eu usei como referência geral o tutorial do Yorik sobre urbanismo no Blender (claro que meu trabalho ainda não chega aos pés do dele) ;).