Welcome, I’m your Oracle. What would you like to know?

Those promising first lines announce what is to come. A virtual avatar who will walk you through a journey of knowledge and discovery.

This was our first take, a prototype if you will, in creating ways to communicate global data on the ocean possible futures and the scientific models underneath the predictions. As part of the NF-UBC Nereus Program.

If you wanna learn more about the science underneath the project, and the whereabouts, go check the official press-release:
http://www.publicaffairs.ubc.ca/2012/01/03/the-oracle-meets-nereus-predicting-the-future-ocean/

 

Read More →

It’s common during a production to have your own copy of blender in your repository. It can be a stable blender that your production relies on, a snapshot from the current svn or, also common, a patched Blender prepared specially for your project.

In projects using the Blender Game Engine this is even more crucial. The blenderplayer should be kept as part of the deployment process of your project.

I recently started to love and hate the use of svn:externals with svn exports. This is a handy (and sloooooow) setup that allows you to create a release folder with files gathered from all over your svn production repository. So you can work as you would in your production folders, and when you want to send a snapshot for a client you simply do a svn export from the ‘release folder’ (a folder smartly arranged to have only the production files you need (kept in sync from the production folder) and even some extra files that are to be used only for release (e.g. icons, readme.txt, runme.bat, …).

The problem I just ran into is that not all blender files are automatically added to your svn repository. As tricky as it sound, some files (i.e.  the .so files from the 2.62/python/lib/python3.2/lib-dynload folder) are not added automatically when you do svn add (either from a command-line or from svntortoise). This concerns Linux and Mac users.

Read More →

My love for photomatching goes a long way.
Back in 2007 I did this project using the fantastic SketchUp Photo Match:

I used 20 photographies, a blueprint of a cross section and a blueprint of the original floor design. I was then hired to do the drawing of the façade with AutoCAD to be used for a study on preservation and historical register of this building.

Since then I realized that Blender was very far from catching up with tools designed with architects in mind.
Today I ran into an add-on for Blender that may help to reduce this gap.

BLAM is a Blender Calibration Tool that you can find here:
http://code.google.com/p/blam/

My original plan for tonight (to code support for green-magenta anaglyph glasses in the Blender Game Engine :)) clearly would have to wait. It’s time to test the tool!

I was following the steps of the video tutorial – BLAM Video Tutorial
If you want to try yourself this is the picture I used:
University of Seattle
It’s a picture from the University of Seattle. I traveled to Seattle last year and really enjoyed the university campus (and the BattleStar Galactica exhibition at the Space Needle alone made the trip worthwhile).

UV EDITOR

  1. adding axis is nice and intuitive but it would nice to tweak the curves for fine tuning while seeing the 3d change (as a live ‘estimate camera focal length and orientation’ mode)
  2. an option to automatically add the image as image background would be nice.

* English version below *
Que tal enviar emails pelo Blender? Ou então mandar um aviso direto para o IRC? Ou então atualizar seu Twitter sem sair do seu programa 3D favorito?

E que tal se agregarmos algum uso pra isso?

Pois meus amigos, hoje estou lançando oficialmente um conjunto de scripts (três por enquanto) para  enviar um recado pelo Blender. Qual a função disso? Na verdade isto surgiu como uma brincadeira, mas descobri que isto pode ser bem útil se você quiser acompanhar pela internet como anda uma renderização, um cálculo (baking) de partículas, uma  simulação de fluidos ou até de SoftBody.

Você pode ir pra casa, pra praia, dormir, que assim que o Blender chegar ao frame que você queira, ele te avisa.

Está curioso? Quer experimentar?
Bom, antes você terá que instalar o Python em seu computador e ter uma versão minimamente atualizada do Blender.

Daí baixe este arquivo abaixo, e siga as instruções. Eles estão desenhados para funcionar como Script Links, e aqui estão funcionando muito bem obrigado 🙂

Blender Notifier 1.0

Espero que gostem, e caso você venha a realmente utilizá-los me deixe uma mensagem 🙂
Não vai te custar nada e vai me encher de alegria.

Um grande abraço,
Dalai (dfelinto)

Read More →

Parece que cada vez mais o Blender está ganhando mais adeptos. Um dos fatores que contribuem para isso (além da excelente qualidade do programa e do seu custo/beneficio) é a disponiblidade de materiais didáticos.

Este tipo de material serve como referência para quem está estudando Blender e de quebra ainda serve como material de divulgação do Blender.

Com este pensamento em mente, uma equipe de artistas de Minas Gerais resolveu começar um projeto de um curta-metragem feito com o Blender. O projeto é um open-movie, ou seja, será disponibilizado na internet junto com todo o seus arquivos, para ser estudado livremente.

O nome do projeto é Paper Orange, e tive a oportunidade de entrevistar a equipe que está trabalhando nele. Se você entende inglês não deixe também de conferir o site deles – http://detaillibrary.blogspot.com – Se você não entende dê uma olhada lá do mesmo jeito, os estudos disponíveis estão bem legais.

parte 01 da entrevistaparte 02 da entrevistaparte 03 da entrevista

ENTREVISTA 01 de 03 – Eduardo Damasceno:
De onde você é?
Eu sou de Formiga. Mas pode falar que todo mundo é de Belo Horizonte. “Ou então fala que a gente é de São Corisco. Isso, San Corisco. Capital nacional do apito a jato.” *

Como você começou a trabalhar com o Blender?
Eu ainda não trabalho com Blender. Mas o projeto (e o Windows Vista) foram incentivos monstruosos para que eu finalmente fizesse minha migração 100% gnu-linux. O Gimp é meu carro chefe e fico cada dia mais feliz com o programa e por saber que qualquer problema que eu encontre ou qualquer ferramenta que eu precise, tenho onde e com quem conversar e alguma coisa será feita, porque a organicidade, esse sentimento de sempre vivo e sempre e movimento do software livre é impressionante.

O que você pensa sobre as oportunidades para quem quer trabalhar com o Blender no mercado nacional?
Se for considerar o que nosso “Produtor-Executivo-Chefe-do-departamento de Tecnologia-co-diretor” fala do programa eu não vejo porque ainda usam outros softwares 3D.

Fale um pouco sobre o projeto:
The Detail Library ou Biblioteca de Pormenores é um projeto que une uma necessidade quase biológica dos envolvidos de produzir entretenimento com a possibilidade de aprender, ensinar e divulgar o software livre. Tínhamos pessoas extremamente interessadas em produzir animação e que eram também professores de uma forma ou de outra, então era interessante para todos não necessariamente “mostrar pro mundo” mas percebermos que era possível produzirmos animação, produzirmos entretenimento sem investimentos absurdos (na verdade sem nenhum investimento) e unir isso à vontade das pessoas de aprender e ensinar. Parece utópico falando desse jeito, mas a grande diferença desse projeto para outros empreendimentos suicida-românticos é justamente a ênfase no processo. Não é “Uma batalha épica contra o sistema para provar que é possível produzir entretenimento inteligente desvinculado das grandes coorporações.” Estamos nos divertindo, e aprendendo no processo, é isso.

Os envolvidos estão aprendendo e ensinando o tempo todo, e se tornando artistas melhores, mais competentes e se considerarmos do ponto de vista da utilização de software… mais livres. Está sendo criada uma entidade, uma comunidade – Biblioteca de Pormenores -, que vai se desfazer uma vez que o filme estiver pronto e distribuído, mas as pessoas serão profissionais melhores no fim disso, e não tenho dúvida de que o próximo projeto, mesmo que seja com a mesma equipe, terá outro espírito, porque se há uma coisa que me mantém viciado em produzir o que for preciso para o filme, é o desafio que nos impomos constantemente de DESCOBRIR como resolver o que for preciso para atingirmos o que queremos. Só assim exigimos de nós mesmos e impomos nossas vontades aos softwares, sem nos tornarmos dependentes, deslumbrados ou idólatras deles.

Quais são seus próximos projetos?
Não faço a menor idéia…. parei de fazer planos tem mais ou menos um ano. Mas considerando as probabilidades, deve ser outro curta metragem animado, com grandes chances de ser ambientado aqui mesmo em San Corisco.

Você sugere algum caminho específico para quem está querendo trabalhar com 3D e/ou animação?
Se parece divertido, e você só percebe o tanto que foi difícil depois, então provavelmente é por aí.

Você tem alguma mensagem para quem está começando no Blender?
Parabéns… Eu ainda não comecei, então vocês já estão muito na minha frente.
Tem mais alguma pergunta que você gostaria de responder e eu não tive a criatividade de perguntar?
Acredito que não… mas eu ainda fico me perguntando como que tanta gente entrou nessa furada!? Parece mágica. E eu fico muito feliz de estar aqui agora, no meio disso tudo.

Eduardo Damasceno
“Co-diretor-co-roteirista-diretor-de-arte-chefe-do-departamento-de-conceito-curte-um-café”


Paper test from detail library on Vimeo.

Em breve a segunda e a terceira parte da entrevista.
Abraços,

Dalai

parte 01 da entrevistaparte 02 da entrevistaparte 03 da entrevista