Problemas e Soluções para Licenciar seus Jogos – Issues and Workaround for Game licensing with Blender Game Engine

English Readers: for the time being use a translator or read in BlenderArtists a short version of the workaround presented here on Blender Game Engine license issues. 

Recentemente tenho percebido muita gente preocupada com a questão da licença da Blender Game Engine. Acho isso um ótimo sinal, pois indica que o mercado de uso profissional da mesma só faz crescer. Pois bem, atendendo a pedidos segue este artigo. Como um bom vinho ele foi feito seco ( que desculpa esfarrapada, está sem imagens porque estou com preguiça mesmo 🙂 ).

O problema:

“Quem roubou o meu queijo?”

O código do Blender é predominantemente GPL e em uma licença própria da Blender Fundation. A GPL especifica (em definições meio vagas) que qualquer programa derivado do código original (bundled with the original code) deve ser licenciado como GPL também. Isto é feito para evitar que alguém pegue o código do Blender, altere algumas coisas, e queira distribuir o mesmo sem compartilhar suas melhorias.
Um detalhe: se um estúdio alterar o Blender para uso interno, mas não redistribuir o mesmo, ele não é obrigado a fornecer as mudanças realizadas no código do mesmo.
Isto contudo não afeta arquivos .blend, renders, scripts, texturas, … que sejam criadas com o uso do Blender. Ou seja, você é livre para usar o Blender comercialmente e licenciar suas criações artísticas do jeito que quiser.

A Blender Game Engine contudo tem um problema. Para distribuir seu jogo você precisa criar um executável (run time). O que o Blender faz é pegar seu arquivo .blend e colocar “dentro” do blenderplayer – uma versão enxuta do Blender contendo apenas as funções correspondentes à Blender Game Engine. Por mais bizarro que isto pareça, este arquivo executável se enquadra na categoria de “derivados” do programa original (por ser um híbrido de seu arquivo com o blenderplayer em si), e portanto deve ser licenciado como GPL.

  Read More →