Parece que cada vez mais o Blender está ganhando mais adeptos. Um dos fatores que contribuem para isso (além da excelente qualidade do programa e do seu custo/beneficio) é a disponiblidade de materiais didáticos.

Este tipo de material serve como referência para quem está estudando Blender e de quebra ainda serve como material de divulgação do Blender.

Com este pensamento em mente, uma equipe de artistas de Minas Gerais resolveu começar um projeto de um curta-metragem feito com o Blender. O projeto é um open-movie, ou seja, será disponibilizado na internet junto com todo o seus arquivos, para ser estudado livremente.

O nome do projeto é Paper Orange, e tive a oportunidade de entrevistar a equipe que está trabalhando nele. Se você entende inglês não deixe também de conferir o site deles – http://detaillibrary.blogspot.com – Se você não entende dê uma olhada lá do mesmo jeito, os estudos disponíveis estão bem legais.

parte 01 da entrevistaparte 02 da entrevistaparte 03 da entrevista

ENTREVISTA 02 de 03 – Daniel Pinheiro:

“Minha vez, minha vez! Cara isso vai ser divertido, até parece uma daquelas coisas que tem no bônus do DVD.”

De onde você é?

Eu sou de Belo Horizonte e atualmente moro em Contagem que é região da pequena Grande BH. O Dilly é de BH, o damasceno é de formiga… mas todo mundo se encontra no mesmo Café em BH.

Como você começou a trabalhar com o Blender?

Eu acho que foi quando meu irmão me mostrou um Linux pela primeira vez. Fiquei fuçando naquilo para ver se tinha alguma coisa que servisse para desenhar ou animar, por acaso tinha uma versão do Blender instalada. De lá pra cá eu fui gradualmente preferindo o blender para realizar algumas tarefas até chegar o ponto onde estou

atualmente onde trabalho praticamente com a dobradinha Gimp+Blender.

O que você pensa sobre as oportunidades para quem quer trabalhar com o Blender no mercado nacional?

Eu sempre acreditei que as chances de trabalho são iguais para os profissionais que utilizam qualquer software,acho que na área de produção visual a qualidade é o principal diferencial, mas quem trabalha com blender pode sempre falar “eu fiz isso em um software livre,” e arrancar um tanto de “é mesmo? nossa!”.

Como surgiu este projeto?

O projeto surgiu da necessidade de aprendizado pessoal e vontade de um pequeno grupo de pessoas que felizmente tem contaminado outras.

Também gosto de dizer que o projeto surgiu para termos uma desculpa semanal para tomar cafe e encontrarmos pra conversar e nos divertir.

E quais seriam os objetivos:

Acredito que os três principais objetivoas do projeto são:

1- Evoluirmos pessoalmente como profissionais (o lance do aprendizado)

2- Produzir uma peça de entretenimento de forma independente (aqui

entra o software livre como um aliado poderoso)

3- Se divertir bastante no processo todo.

Quais são seus próximos projetos?

Meu próximo projeto é o próximo curta, mas eu tento evitar ao máximo pensar qualquer coisa sobre o filme seguinte para não atrapalhar a produção do atual. Eu até criei um arquivo de texto que serve como geladeira de idéias.

Você sugere algum caminho específico para quem está querendo trabalhar com 3D e/ou animação?

Acho que para quem quer trabalhar com 3D, tem que aprender um pouco de como funciona a coisa toda e especializar na área de maior interesse, shading, iluminação, modelagem… essas coisas. Inclusive acho que foi o Dilly que me disse isso.

Quanto animação, é uma dessas coisas que você tem uma idéia e vai fazendo, uma hora fica pronto.

Você tem alguma mensagem para quem está começando no Blender?

Eu estou realmente feliz de ter conhecido e optado trabalhar com esse programa. Ele deixa meu trabalho bem mais fácil.

Tem mais alguma pergunta que você gostaria de responder e eu não tive a criatividade de perguntar?

Talvez eu perguntasse “E aí quando fica pronto o filme?” ou “Quando é a estréia?”.

A resposta para essa pergunta seria algo “assim que a gente conseguir.”

Daniel Pinheiro

“Co-diretor-co-roteirista-storyartist-animador-de-plantão-desenhista-que-reclama.”


Paper Box tests from detail library on Vimeo.

Em breve a terceira parte da entrevista.

Abraços,
Dalai

parte 01 da entrevistaparte 02 da entrevistaparte 03 da entrevista

3 Thoughts on “Entrevista – Projeto Paper Orange 2/3

  1. Filipe Faria on May 4, 2008 at 11:17 pm said:

    Opa!
    Estou achando ótimo participar disso tudo…apesar de estar na fase de treinamento ainda.
    Tenho certeza de que esse e todos os projetos que virão serão cada vez melhores.
    Como calouro, só quero reforçar os objetivos citados pelos entrevistados.
    Conto – como todos os componentes desse engradado de pessoas – com o apoio de todos os que se interessam por softwares livres, por blender e principalmente por animação em geral!

  2. gostei dessa caixinha de papelão… muito real
    boa sorte la na univ!

  3. Acho que foram as caixas de papelão que me motivaram pra acompanhar o projeto, hehehe

    Mas neste tipo de trabalho, é interessante como faz diferença a qualidade técnica junto com a qualidade artística.

    Os concepts estão muito bons também.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation