“(…) sei lá, seilá, a vida tem sempre razão (…)”

Vinícius já dizia, tem coisas que só a vida para entender. Mas mesmo não entendendo, tem certas coisas que que a gente acredita e vai em frente, seguindo nossas intuição e nosso caminho.

placa.jpg

A minha história com o Linux, Blender e Software Livre segue um pouco este princípio. Quando eu comecei a mexer com Linux (na época o Conectiva 3.0), eu achava isto tudo muito interessante, porém um pouco solitário.

Eu não conhecia muita gente que mexesse com essa parte da informática, então nunca tive com quem trocar minhas curiosidades e experiências.

Mesmo assim, a idéia de liberdade – de informação, de criação, de trabalho – me encantou tanto, que por si só me motivou a ir em frente continuar estudando e me preparando para o que viesse.

E assim fui me familiarizando com Linux, GIMP, Inkscape, Blender, …

Bom, quando eu comecei a estudar arquitetura, resolvi revisitar os programas que eu sabia que poderiam me servir para os meus trabalhos. Foi então que acabei encontrando no fórum Blender Brasil um anúncio de um curso de Blender que ia começar em uma semana, à 20 minutos andando da minha casa.

Apesar do curso ser básico, com ele eu aprendi algumas coisas importantes:

Entendi que é muito mais prazeroso estudar/aprender quando não se está sozinho. Além do prazer inato de se estar acompanhado, o estímulo proveniente de ver as pessoas evoluindo junto contigo não tem preço.

A partir deste momento surgiu a idéia de um Blog, e a oportunidade de começar a compartilhar minhas experiências e progressos. Queria tentar retribuir para “o mundo” um pouco da ajuda e suporte que eu encontrei. Queria mostrar que é possível um modo de trabalho diferente, uma ferramenta diferente, que por si só transmite uma menagem clara – um outro mundo é possível, plausível e para alguns já é uma realidade.

Seguindo em frente neste caminho, comecei a trabalhar usando outros programas para apresentação (SketchUp, VRay) mas eu insistia em usar o Blender sempre que fosse possível. Cada vez que eu consegui usá-lo profissionalmente, me enchia de alegria, e eu desejava mais e mais usá-lo como a minha principal ferramenta de trabalho.

O passo seguinte foi prestigiar a BlenderPRO 2007. O primeiro encontro nacional de usuários de Blender foi para mim uma prova de que isso tudo estava valendo apena. Encontrar gente de diferentes partes do país com os mesmos interesses em comum é uma experiência de tribalização única. Tenho certeza de que cada vez mais este evento vai amadurecer e ajudará mais gente a fazer parte desse movimento.

Finalmente cheguei ao ponto que eu queria chegar, e espero que não tenha sido cansativo acompanhar.

Hoje eu realizei um sonho de 10 anos atrás, eu fui contratado para trabalhar num projeto usando basicamente o Blender.

Mais do que isso, é um trabalho que vai demandar de mim tudo o que eu já aprendi até agora e vou aprender mais e mais trabalhando com a equipe.

ocean4.jpg

Em breve vou escrever em mais detalhes sobre o projeto, mas queria deixar aqui um registro do quanto foi importante estar cercado de pessoas tão boas e generosas ao longo da minha vida e de minha formação.

Obrigado a todos vocês!

Obrigado ao Augusto Praguer pelo curso de Blender. A Anderson e Marco Antônio pela parceria no primeiro Blog. A Cícero Moraes e Yorik pela inspiração e referência de um caminho profissional com o Blender, por compartilhar suas experiências e pela amizade. A Cláudia Alencar e Léo Bungarten, meus primeiros chefes, por acreditarem em mim, me incentivarem a perseguir meus sonhos, pela experiência, e pela liberdade de trabalho que me permitiu dar meus primeiros passos profissionais usando o Blender. A Luis Retondaro por tornar a BlenderPRO realidade. A Mike Pan, Stephen Danic e Sherman Lai por me receberem tão bem e me convidarem para fazer parte do projeto. A Juliana por acreditar em mim, e me mostrar que acreditar nos sonhos é o primeiro passo para mudar o mundo. Obrigado. A minha família, pai, mãe e irmãos, por me empurrar para frente e me apoiar de um jeito tão especial. Obrigado ao Leo Yalom por desbravar este continente e me inspirar a cair no mundo também. Ao Humberto, por me mostrar que vale qualquer sacrifício para perseguir um sonho, e servir de braço direito nesta minha empreitada pelo inglês.

Existem milhares de outras pessoas que foram muito importante para que eu chegasse aonde eu estou hoje, mas para manter o escopo deste Blog, vou terminar deixando um agradecimento a todos que visitam este espaço, e especialmente para os que deixam aqui suas pegadas. Obrigado Filipe , Gustavo, Henrique, Poppe, Larissa, Yorik, Nina, Jaqueline, Cicero, Luci, Juliano, Danillo. Obrigado Ganon, pelo link no seu site 🙂 Podem ter certeza de que todo sinal de vida e de apoio que eu recebo é importante para eu continuar este projeto.

Obrigado por toda a ajuda e apoio, e até breve.

Dalai Felinto

10 de Maio de 2008

Alguns links informativos explicando parcialmente o projeto em que estou envolvido em inglês:

http://www.blendernation.com/2008/04/09/fish-population-data-visualisation-internships-at-great-northern-way-campus-vancouver/

http://mpan3.homeip.net/perma/0805122213_What_I_am_up_to

http://mdm.gnwc.ca/?q=blog/20080415/fishy-radio

E um artigo que o Allan Brito postou no blog dele:

http://www.allanbrito.com/2008/05/16/blender-game-engine-usada-na-simulacao-ecossistemas-marinhos/

2 Thoughts on “Minha história até aqui

  1. Muito Bom! Parabéns! 🙂

  2. Obrigado Filipe!

    Vamos que vamos 🙂

    Espero trazer de volta pro Brasil essa experiência.
    Quem sabe depois do primeiro OpenMovie brasileiro o pessoal não se organiza para fazer o primeiro OpenGame brasileiro?

    Abração,
    Dalai

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation